Seguidores

quarta-feira, 3 de março de 2010

DESCULPA,A GENTE JÁ SE CONHECE?


Meu maior problema é que nunca me lembro dos nomes,mas,sempre me .esqueço das caras.Mas,será que sou só eu?Alguém nunca passou por isso?
Seja na rua,numa festa,num enterro,na casa de amigos,vejo gente que SEI que conheço;só não me lembro quem é nem aonde vi.
Uma vez,quando trabalhava em Floripa,fui convidada para uma festinha na casa de uma colega de trabalho, aliás,uma chata.Ela estava fissurada para apresentar a colega da Bahia,acho que ninguém ali presente já havia visto uma baiana ao vivo e a cores e estavam todos excitados.O fato é que a festa estava um porre!Gente conversando baixinho,grupinhos formados,cochichavam,sorriam de leve e eu tinha certeza que era “o prato do dia”;na forma que alguns me olhavam,acho que da noite também.Não sou de beber,mas,a bebida era regrada e os salgadinhos,apesar de gostosos e fartos,sem o tempero de um vinho ou uma boa cervejinha,não empolgavam.Doida prá escapar,circulei pelo jardim e,perto do portão de entrada,encontrei um senhor de cara triste,meio amofinado,num canto;parecia,como eu,querer que tudo acabasse.Encostei nele e falei.
-Puxa,o velório ´tá animado.Vou embora.O senhor não vem?
E ele,respondeu:
-Não posso;sou o dono da casa.
Procurei um buraco para me enfiar, mas,as ruas de Floripa são tão bem cuidadas...
Aprendi a usar a técnica do “homem que ri”,de Hugo;se alguém olha prá mim,sorrio;pode ser um cobrador ou oficial de justiça:sorrio.
Não vá as pessoas me chamarem de metida.O pior é que tenho uma cara universal;pareço com todo mundo.Num show de Roberto Carlos,em Salvador,onde fui acompanhar minha filha,quando o carro saía do estacionamento do estádio,populares(juro!) cercaram o carro,jogaram beijinhos,bateram no capô,gritando:Lady Laura,Lady Laura,pensando que eu era a mãe do cantor.
Nas festas troco beijinhos com uma senhora,ela pergunta por meu pai,e eu,agoniada:Quem é?
Colega de escola,vizinha de rua,me dá uma dica,mulher,fala qualquer coisa,clareia;daqui há pouco vai chegar meu neto,tenho que apresentar,-como se não lembro o nome dela!?
Será Elvira-sim,a prima Elvira,boa praça,que não vejo há vinte anos-não,será Valdete,uma amiga de infância,da pá virada,que depois casou com um espanhol,ah,meu Deus,que dúvida!
Chega o anfitrião e me salva.
Vai fazer um brinde ao aniversariante.Corro pro bar....e ainda resta o Google,de qualquer forma;posso consultá-lo.
Sei que as coisas vão piorar.
Talvez chegue o dia em que alguém pergunte o meu nome e eu lhe pergunte:-Por favor,você precisa desta informação prá quando????






4 comentários:

  1. Lindo e divertido e isso acontece comigo!rssrrs beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Pois é sempre tem pessoas esquecidas mais que outras , mas a contece com todo mundo.Eu sempre tenho brancos ao ligar , esqueço o número do telefone. nossa como a gente se sente ruiom né? bjs e venha ver a doce Alice no Jornal de Floripa

    ResponderExcluir
  3. Paulinha,vc n/sabe a frequencia q/isso me acontece;são os 20 anos...rsss bjks

    ResponderExcluir